sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Salvos somente pela graça ? Atenção irmãos !


Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Ef 2.8-10


.

Ef 2.1-7 descreve nossa condição pecaminosa diante de Deus, o ato de Deus em Cristo para nos salvar de acordo com sua misericórdia e graça, e seu objetivo de nos glorificar junto com seu Filho. Estávamos mortos em pecados, então Deus nos ressuscitou com Cristo para que pudesse derramar suas riquezas sobre nós. Esta é uma declaração de graça – Deus age em nosso favor. É um ato de Deus em Cristo no qual ele nos vivificou com ele, nos ressuscitou com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais com ele. Esta única sentença estabelece o motivo e natureza das ações de Deus no contexto da misericórdia, bondade e graça de Deus. Nossas ações não movem Deus à graça, mas a graça de Deus o moveu a agir em nosso favor. Sua obra é uma obra graciosa para pecadores que não a merecem.

.

Ef 2.1-7 está resumido no princípio de Ef 2.8: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé.” O termo “porque” tem força explicativa. O princípio do versículo 8 explica de forma resumida o que ele acabou de descrever nos versículos 1-7. De fato, os versículos 8-10 têm o papel de resumi-los. Paulo está resumindo a natureza da salvação em Cristo.

.

A graça é a base de nossa salvação. A salvação é obra de Deus, não nossa. Este é o claro ensino da palavra “graça” – é um favor imerecido; é a disposição de Deus de amor salvador a pecadores indignos. A ira é o que é devida, mas a graça é concedida. A afirmação principal da doutrina da graça é que a salvação é obra de Deus.

.

Deus é o sujeito dos verbos relacionados à salvação nos versículos 1-7. Ele é o trabalhador ativo. Além disso, Paulo esclarece este ponto excluindo as obras da base da salvação. A salvação “não vem de vós, é dom de Deus.” A salvação não tem origem em nossa própria bondade ou mérito. A salvação tem origem no coração gracioso de Deus que nos dá a salvação. Não salvamos a nós mesmos, mas Deus nos salva. Deus apenas, e neste sentido, somente a graça salva.

.

Paulo enfatiza este ponto oferecendo um contraste adicional. Não apenas a salvação “não vem de vós,” mas também “não vem das [literalmente, como resultado] obras.” A salvação não tem origem nas obras que fazemos. Nossas obras não são a fonte de nossa salvação. A salvação não tem origem na qualidade e característica de nossas obras. A salvação é fundamentalmente um dom de Deus e o que quer que mina esse princípio é legalismo e nega o evangelho.

.

Paulo não qualifica sobre qual tipo de obras ele está falando aqui. Ele simplesmente diz “obras.” Ele usa a mesma palavra no versículo 10 – somos criados em Cristo Jesus para as boas obras. As obras seguem a nossa salvação. A salvação não tem sua origem nelas. As obras são excluídas como fonte da salvação “para que ninguém se glorie.” Ninguém pode se gloriar de suas obras em relação à salvação. Se nos gloriarmos em alguma obra, esforço humano ou obediência à lei, então excluímos Cristo. A graça de Deus significa que não nos gloriamos em nossas obras, mas em sua obra em Cristo. É Deus quem salva. Não salvamos a nós mesmos. A salvação não tem origem em nossas obras.

.

A salvação, entretanto, ocorre por meio da fé. Somos salvos pela instrumentalidade da fé. A fé é o meio pelo qual recebemos a graça de Deus. Através da fé temos acesso à graça de Deus, e por meio da fé continuamos firmes em sua graça (Rm 5.1, 2). A fé é a resposta humana à oferta graciosa de salvação de Deus. A fé recebe o que Deus está disposto a dar. Deus salva pela graça, mas por meio da fé. Uma resposta humana é exigida para a salvação. Ninguém é salvo sem fé. A fé é uma resposta humana à oferta graciosa de Deus. A graça de Deus é oferecida a todos, mas aplicada somente naqueles que a recebem pela fé.

.

E quanto ao batismo? Se todas as obras são excluídas, isto significa que é somente a fé que salva, sem o batismo? Devemos nos lembrar que no versículo 8 Paulo está resumindo os versículos 1-7. Somos salvos por um ato de Deus, não nosso. Mas qual é este ato de Deus que nos salvou? Quando estávamos mortos, Deus nos vivificou com Cristo, nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar nos lugares celestiais com ele. Deus nos fez ressurgir da sepultura espiritual e nos vivificou pela sua obra em Cristo. Nós que estávamos mortos em pecados, agora estamos vivos em Cristo pela nossa morte e ressurreição com ele. Se Cl 2.12 e 3.1-4 servem de indicação (assim como Rm 6), Paulo está aludindo ao batismo nestas frases. Deus circuncidou nossos corações, nos vivificou com Cristo e perdoou nossos pecados quando fomos “sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos” (Cl 2.12). Quando Paulo diz que Deus “nos ressuscitou juntamente com ele” (Ef 2.6), todo o contexto de seu pensamento e o paralelo de Colossenses sugere um contexto batismal.

.

O batismo salva, não como uma obra, mas como uma expressão da fé na obra de Deus. O batismo é fundamentalmente obra de Deus – ele perdoa, ele ressuscita, ele vivifica. Nós simplesmente, por meio da fé, confiamos. Não fazemos nada, mas recebemos tudo. A salvação não tem origem no batismo; antes, na graça de Deus. Mas recebemos a salvação através da fé conforme nos submetemos à exigência de Deus de expressar nossa fé no contexto do batismo. O batismo, então, é uma resposta humana que surge da fé, expressa fé e recebe a graciosa salvação de Deus como um dom.

.

As boas obras, entretanto, são resultado da salvação – elas não são base ou fundamento da salvação. Não somos salvos porque realizamos obras, mas realizamos obras porque já somos salvos. Somos salvos pela graça por meio da fé – não por causa de nossas obras, mas como um dom divino para que ninguém se glorie. Isto é verdadeiro porque, como diz o vesículo 10, somos criados para as boas obras, e não porque fazemos boas obras. Pelo contrário, somos obra de Deus. Realizamos as obras de Deus porque somos obra da salvação de Deus como novas criaturas em Cristo.

.

As “obras” seguem a salvação. Deus nos salva pela graça, não obras. Mas ele nos salva para que possamos realizar boas obras. As obras são resultado da salvação. Somos criação sua para as boas obras. A ordem de Paulo é clara: graça, fé, salvação, obras. Não é: graça, fé, obras e então salvação. As obras não são o meio para a salvação, mas a evidência de uma salvação já recebida. Elas testificam que somos nova criação de Deus; elas confirmam a nossa salvação. O povo de Deus é um povo salvo que confirma a sua salvação por meio de boas obras. Somos um povo dedicado às boas obras. Fomos salvos para fazer boas obras, mas não pelas nossas obras (2Tm 1.8-11; Tt 2.11-14; 3.3-8).

.

A salvação, então, é pela graça, por meio da fé, no batismo, para as boas obras. A salvação tem origem na graça de Deus, e não salvamos a nós mesmos. Antes, Deus nos cria por meio da fé. Ele nos ressuscita com Cristo e nos vivifica por meio da fé em seu poder que ocorre quando somos sepultados com Cristo e ressuscitamos com ele no batismo. Deus dá 100% de nossa salvação – somente ele salva, e por meio da fé recebemos a plenitude de seu dom – ele coloca o dom em nossas mãos quando as abrimos para recebê-lo. Em consequência, somos feitura de Deus, dedicados às boas obras, santidade e discipulado. É porque fomos salvos que buscamos agradar a Deus em todos os aspectos. A salvação, em resumo, é pela graça, por meio da fé, no batismo, para as boas obras.




Fonte:http://www.arminianismo.com

6 comentários:

Márcia Gizella disse...

Muito bom irmão,
Realmente as pessoas tem se esquecido da graça, e uns até a negociam...
Ótimo alerta.
Deus te abençoe!!!



Márcia gizella.

Alessandro disse...

Grande Leo,

Venho aqui lhe agradecer por visitar meu blog.

Também gostei muito do seu. Esse post é muito pertinente já que muita gente confunde esse assunto de obras e graça. Ótimo texto!

Um abraço e que Deus lhe abençoe.

Jorge Sá disse...

Realmente acho bom o objetivo de se mostrar que esta hitória de graça irresistivel não cola...

Gostei do artigo e do blog, parabéns !

Leonardo Macambira disse...

Irmã Marcia Gizella

Paz e Graça !!!

Obrigado pelo edificante comentário e importante colocação sobre o negociar a GRAÇA !!!

Deus nos livre deste mau e nos conserve em sua presença !!!

Paz!

Leonardo Macambira disse...

Irmão alessandro

Eu é quem agradeço por sua participação, afinal o ensinar e alertar é a nossa parte e ai de nós se não a fizermos !!!

Deus seja contigo !!!

Paz!!!

Leonardo Macambira disse...

Amado Jorge Sá


Graça com responsabilidade, Deus quer filhos equilibrados e não inconsequentes movidos por um sentimento falso e enganatório !!!

Graça com responsabilidade!!!